Se você fez a opção por praticamente cancelar o açúcar da sua vida e da de seu filho, ótimo. Mas se a realidade não é exatamente esta, vamos ver como conviver com ele de forma inteligente, prevenindo a cárie dentária.

Apresentamos algumas situações em que o limite deve ser oferecido ao menor:

1. Aquele lanchinho da tarde: a hora do ataque da geladeira, os belisques da criançada em frente à TV ou ao computador.

a) Ter como opção aos belisques alimentos como frutas em geral: maçã, uva, manga picada, laranja ou ainda alimentos como a pipoca salgada, o amendoim, nozes, castanhas e o queijo que são chamados de protetores por neutralizar o pH da boca, diminuindo a ação das bactérias cariogênicas.

b) Limitar estes ataques, para que não sejam frequentes, de forma que haja um intervalo de ao menos 2 horas entre as alimentações.

c) Para diminuir os belisques, instituir um horário certo para o lanche entre as refeições principais, especialmente quando a criança ficar em casa à tarde. Pela manhã, dependendo da hora em que a criança acordar, uma fruta é o suficiente entre o café da manhã e o almoço.

2. O baleiro depois da aula, o saco de lembrancinhas cheio de balas que sobrou da festa, os presentes doces dos avôs, titios, padrinhos, etc. – outro desafio.

a) O baleiro: em primeiro lugar, conversar com a criança e, às vezes, instituir um único dia na semana poderá ser interessante. E se fizer a opção pela compra, preferir os chicletes sem açúcar e a pipoca salgada. Os chicletes sem açúcar, além de não provocar cáries, ainda ajudam na limpeza dos dentes pela ação mecânica de remoção da placa bacteriana e pelo aumento do fluxo salivar ocasionado pela mastigação.

b) Saco de lembrancinhas: procurar terminar com ele antes de chegar em casa, distribuir, colocar na bolsa e dar para o pessoal do trabalho, ou deixar no carro para dar no sinal. O que não é legal é permitir que estas balas circulem em casa durante a semana como belisques.

c) As balinhas presentes: da mesma forma, não permitir a liberação fora de hora em casa. Juntar às refeições principais, e estimular à família para presentear a criança com outras coisas, como: revistinhas, figurinhas, adesivos, livros de colorir, um material escolar novo (cola, lápis de cor, lápis de escrever), e tantas outras coisas legais!

3. As compras de supermercados: biscoitos recheados e guloseimas, refrigerantes e outros mais, quando o adulto não consegue abrir mão das gostosuras.

• É preciso mudar o hábito da família. Refrigerante na geladeira é um convite muito forte ao seu consumo. De preferência só deve ser liberado em festas e eventualmente em finais de semana. E os biscoitos recheados e guloseimas não devem fazer parte da compra. Ou estarão também contribuindo com o desequilíbrio alimentar. Devem ser substituídos de preferência por biscoitos de sal (cuidado com os chamados salgadinhos industrializados, muitas vezes ricos em sacarose), de polvilho e similares. E a compra da casa deve garantir o lanche saudável com pão, queijo, leite, suco e frutas.

Simplesmente, o simples! Nada demais!

Então é só usar a inteligência, e o açúcar não precisa ser cancelado, mas direcionado. E de forma que esteja junto às refeições principais, e em forma menos pegajosa!

E boa sorte!

Originalmente publicado no site Na pracinha
http://napracinha.com.br/2012/09/geracao-zero-carie-iv-uso-inteligente/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*